sábado, 25 de abril de 2015

Dr. Maneco dispara - O caso Dengue em Belo Jardim está crescendo, e a Policlínica falta medicamento. A ex secretaria Silvia Renata que o diga!

Há aproximadamente 2 meses que falei sobre a DENGUE E OUTRAS VIROSES que estavam infectando os moradores de nosso município.
Falei também sobre as alternativas que a Prefeitura tinha para evitar que o surto se alastrasse: formar uma força tarefa com os Agentes de endemias e de saúde, utilizar os militares da Cia. Do Exército, sediada na divisa com S. Bento do Una, Corpo de bombeiros, Polícia Militar, etc. Outras cidades se utilizaram desses meios e deu certo. Mais uma vez nada foi feito e Belo Jardim entrou na lista das cidades com surto da DENGUE. Mais uma prova do VAZIU ADMINISTRATIVO que passamos.
Os agentes de endemias e/ou de saúde vêm visitando algumas casas, mas informam que não tem mais o veneno que mata as larvas que dão origem aos mosquitos transmissores da DENGUE.  Enquanto isso a população vai sendo infectada pelo vírus. Já é um caso de CALAMIDADE PÚBLICA e nós estamos a Deus Dará.
Na policlínica, única unidade que trata a doença, não tem medicamentos e só tem um médico por dia. A reclamação é geral.
Houve, inclusive um fato interessante, a Secretária de Saúde, com a virose, foi atendida, sábado passado e o único médico existente,  na unidade, Dr. Eduardo, prescreveu Dipirona, não tinha, voltarem, não tinha, Tilatil, não tinha. A Secretária teve que ser atendida em outro lugar. Não soube onde.
Não estou aqui acusando a Secretária, pois ela já é a terceira nesta Gestão de João Jatobá e não conseguiu resolver o problema da saúde em nossa cidade. Sinal de que a culpa não só é da Secretária, a responsabilidade maior é do Prefeito João Mendonça.
Nós temos um sistema de saneamento básico precário. As ruas são calçadas ou asfaltadas, quase todas, sem saneamento.  Os canais, todos eles não são limpos. Se nós passarmos no Bairro do Pontilhão é uma fedentina só, outros Bairros também.  São os maiores focos do mosquito transmissor. E o prefeito nada fez
Mas os problemas não se limitam só ao tratamento da DENGUE, falta de médicos e de medicamentos. Alguns equipamentos importantes, que não deveriam faltar em unidade hospitalar, estão quebrados há bastante tempo. São eles: DESFIBRILADOR, que pode salvar muitas vidas quando ocorre parada cardíaca, infarto por exemplo, quebrado há aproximadamente 2 anos; RX, quebrado há mais ou menos 1 ano; AUTOCLAVE, equipamento que esteriliza os instrumentais e roupas da Policlínica, quebrado há mais de 1 ano. Os instrumentais e roupas estão sendo esterilizados no Hospital Santa Fé.
 Perguntamos: o que fica mais barato, consertar o equipamento ou até mesmo comprar um ou dois novos ou pagar para fazer o serviço por mais de 1 ano?
Ainda tem outro problema com relação aos  funcionários da saúde, eles fazem refeições no prédio do SAMU. Vão em duas turmas, a primeira come bem, mas a segunda não, falta comida. Sem falar que eles não recebem o piso salarial da categoria e suas gratificações foram reduzidas nesta gestão.
Precisamos ficar atentos: cobrar e reivindicar nossos direitos.

DR. MANECO
Previous Post
Next Post

About Author

0 comentários:

O nosso Blog agradece a sua participação, mas não responsabiliza-se por qualquer comentário dos participantes. Todos os comentários serão moderados antes de aparecerem nas postagens. Use o bom senso.

Comente a postagem acima.

Postagens populares