segunda-feira, 11 de maio de 2015

Vitória do Sport sobre o Figueirense foi fruto da postura dos jogadores em campo

A vitória do Sport sobre o Figueirense-SC, por 4 a 1, na Ilha do Retiro, na estréia dos times na Série A do Campeonato Brasileiro serviu para quebrar o clima ruim que estava rondando o clube leonino. Antes da partida, só se falava em crise e em pressão sobre o técnico Eduardo Baptista. Mas, diante dos catarinenses, o Leão sobrou. Fez o que tinha de ser feito. Diante de uma adversário frágil (atuou com um time considerado reserva, já que está de olho no duelo contra o Avaí, pela Copa do Brasil, no meio de semana), o Sport atropelou. E começar o Brasileirão vencendo é sempre bom. 

O mais importante da vitória do Leão não é apenas o placar. É a postura do time em campo.  A equipe se impôs, ditou o ritmo da partida. Diego Souza, enfim, brilhou. Foi o meia que a torcida sempre esperava. Foi o jogador que armou as jogadas ofensivas, que apareceu para chamar a responsabilidade de conduzir o time à vitória. Na frente, Elber deu trabalho aos defensores do Figueirense. Foi um jogador agudo. No primeiro tempo, o 1 a 0 foi pouco para o Leão.

Na segunda etapa, Eduardo Baptista manteve a postura da equipe. E os gols foram saindo com naturalidade. Era isso que o Sport estava precisando mostrar ao seu torcedor: um futebol sem burocracia. Mesmo tomando um gol contra (Renê, que não fez uma boa partida, deu um golpe de karatê e mandou para dentro das próprias redes), o time rubro-negro não se abateu e construiu o placar.  Até Régis acordou. Entrou no segundo tempo, armando o time. Ficou mais solto em campo e ainda deixou sua marca. 

Não é porque o Sport goleou o frágil Figueirense na abertura do Brasileirão que o time deixou de ser limitado para se transformar numa "máquina" de jogar futebol. Longe disso. O Sport continua limitado. No entanto, a vitória serviu para mostrar que o time precisa ter essa postura em campo, especialmente quando joga em casa. A equipe entrou determinada, com vontade de vencer para superar suas limitações. Se no Nordestão e no Pernambucano, o Sport parecia um time preguiçoso, no Brasileirão, vai ter que acordar. E contra o Figueirense, o Leão mostrou isso. Que se mantenha essa postura.

Previous Post
Next Post

About Author

0 comentários:

O nosso Blog agradece a sua participação, mas não responsabiliza-se por qualquer comentário dos participantes. Todos os comentários serão moderados antes de aparecerem nas postagens. Use o bom senso.

Comente a postagem acima.

Postagens populares