segunda-feira, 29 de junho de 2015

Armando: não vim aos EUA falar de Lava Jato

Se depender do ministro do Desenvolvimento, Armando Monteiro, a Operação Lava Jato e as investigações de corrupção no Brasil estarão fora de sua agenda nos Estados Unidos: "Não vim aqui para falar disso", declarou no sábado à noite em Nova York, poucas horas depois de chegar à cidade com a presidente Dilma Rousseff. Segundo ele, um dos objetivos da visita é transmitir uma mensagem de confiança no Brasil aos investidores internacionais.

Segundo Monteiro, apesar das dificuldades "conjunturais", as perspectivas do Brasil são positivas. O ministro ressaltou que a recente desvalorização do real aumentou a atratividade dos investimentos no país, ao reduzir os custos em dólares. "Os ativos no Brasil estão baratos e os projetos, também".

Mesmo as investigações de corrupção podem ser apresentadas como um aspecto positivo, defendeu Monteiro. "O importante é que há um ambiente institucional maduro, em que as instituições funcionam e os Poderes são independentes."

A área comercial será uma das mais importantes da visita de Dilma, que se encontrará com o presidente Barack Obama na segunda e na terça-feira. Os dois presidentes devem anunciar a intenção de dobrar o comércio bilateral em dez anos. "É uma meta razoável e desafiadora", disse Monteiro, ressaltando o fato de que a maior parte das exportações para os EUA são de bens manufaturados, e não commodities.

Para isso, devem ser acordadas medidas de facilitação do fluxo de bens entre os dois países, que somou US$ 62 bilhões no ano passado, de acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento. O valor representa pouco mais de 10% do comércio dos Estados Unidos com a China, que atingiu US$ 590 bilhões em 2014. O fluxo com o México somou US$ 534 bilhões no mesmo período. As exportações brasileiras representam apenas 1,4% das compras totais dos Estados Unidos.


De concreto, devem ser anunciados acordos de harmonização de padrões nos setores de máquinas e equipamentos, têxteis e luminárias, que podem facilitar as vendas entre os países. Haverá ainda avanços na integração de portais únicos, que permitem aos exportadores resolver todos os problemas burocráticos em um único "guichê", sem necessidade de interação com diferentes agências.
Do Estado.






Previous Post
Next Post

About Author

0 comentários:

O nosso Blog agradece a sua participação, mas não responsabiliza-se por qualquer comentário dos participantes. Todos os comentários serão moderados antes de aparecerem nas postagens. Use o bom senso.

Comente a postagem acima.

Postagens populares