quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Lula dá o tom: "Melhor que perder a Presidência"


Declaração foi dada ontem pelo ex-presidente a Dilma, durante reunião para tratar da reforma administrativa

Em reunião que durou mais de sete horas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aconselhou ontem a presidente Dilma Rousseff a atender todos os pedidos do PMDB, mesmo que para isso tenha de desidratar o PT e rifar correligionários na reforma ministerial. “É melhor perder ministérios do que a Presidência”, disse Lula, segundo relato de ministros que participaram da conversa, no Palácio da Alvorada. A petista ouviu o recado e prometeu que que cinco ministérios ficariam nas mãos do PMDB, entre eles o da saúde.

A reforma administrativa por completo, entretanto, ficou para a próxima semana. A presidente irá hoje a Nova York, a fim de participar da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), e só retornará a Brasília na terça-feira.

Depois que Dilma concordou em transferir a pasta da Saúde para o controle do PMDB na Câmara, o Palácio do Planalto venceu uma batalha no Congresso e conseguiu manter importantes vetos da presidente a projetos que aumentavam o rombo nas contas públicas. Lula pediu à aliada que se aproximasse mais do vice-presidente Michel Temer

 que comanda o PMDB, e dos presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Cunha rompeu com o governo, mas o favorito para ocupar o Ministério da Saúde é o deputado Manoel Junior (PMDB-PB), um de seus homens de confiança.

A portas fechadas, o ex-presidente Lula avaliou também que a estratégia montada de indicar Saúde, hoje com o PT, para ser comandado pela bancada do PMDB na Câmara, deu fôlego para Dilma barrar o impeachment no Congresso. Mesmo assim, Lula aconselhou a sucessora a adiar por alguns dias o anúncio da reforma ministerial, previsto inicialmente para ontem. Ele argumentou que Dilma deveria “amarrar bem” os acordos, uma vez que a ideia é por agora nos ministérios quem tem voto e pode ajudar o governo no Congresso.


Outra mudança anunciada ontem pela presidente diz respeito ao Ministério do Trabalho, hoje nas mãos do PDT. Ele será fundido ao da Previdência. Segundo o presidente nacional do partido, Carlos Lupi, Dilma fez um apelo para que o PDT continue a integrar a base aliada e ofereceu ao partido a pasta de Comunicações, hoje ocupada por Berzoini, que será transferido para a Secretaria-Geral e ficará responsável pela articulação política do Planalto.





Previous Post
Next Post

About Author

0 comentários:

O nosso Blog agradece a sua participação, mas não responsabiliza-se por qualquer comentário dos participantes. Todos os comentários serão moderados antes de aparecerem nas postagens. Use o bom senso.

Comente a postagem acima.

Postagens populares