sábado, 4 de março de 2017

Em 24 horas, Recife registrou volume de chuva previsto para nove dias, segundo Apac-PE


A agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac-PE) informou, na manhã deste sábado (4), que em algumas localidades do Recife choveu até 80 milímetros, em 24 horas. Isso é equivalente a precipitações esperadas para nove dias. O volume histórico para março é de 264 milímetros. Os dados foram coletados entre as 10h de sexta-feira (3) e 10h deste sábado.

No Grande Recife, a cidade que mais registrou precipitações foi Jaboatão dos Guararapes. Segundo a Apac-PE, o município notificou um volume de chuva de 100 milímetros em alguns pontos. Isso representa que, em um dia, houve notificação do índice pluviométrico previsto para 13 dias. Na cidade, a média histórica é de 227 milímetros.

Em Olinda, a chuva das últimas 24 horas provocou acúmulo de 91 milímetros. É um volume equivalente ao índice previsto para 11 dias. A média histórica da cidade é de 254 milímetros.
De acordo com o coordenador da Defesa Civil do Recife, coronel Cássio Sinomar, houve uma forte precipitação de verão. “O calor estava muito grande e isso favorece esse tipo de ocorrência. A maior quantidade de chuva no Grande Recife é prevista para abril, maio, junho e julho”, comentou.


Por causa da chuva, aconteceram transtornos em toda a Região Metropolitana. Houve registro de alagamentos no Recife, Olinda, Jaboatão e Paulista. Foram notificados pequenos deslizamentos de terra, bem como a queda de quatro árvores na capital: Boa Viagem, Espinheiro, Torrões e Mustardinha.

No site, a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac-PE) fez um alerta para chuvas de mais de 50 milímetros, previstas para este sábado. De acordo com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), houve problemas de falta de energia em pontos isolados de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, e em Olinda.

Em 2016

No ano passado, a chuva provocou quatro mortes e e destrução no Grande Recife. O temporal foi registrado no dia 30 de maio.
Três óbitos ocorreram após um deslizamento de barreira registrado em Águas Compridas, em Olinda. Um óbito aconteceu por causa de queda de encosta em Passarinho, na Zona Norte da capital pernambucana.

Em seis horas, choveu 200 milímetros, o equivalente a 67% do esperado para o mês de maio inteiro, de acordo com a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac). Universidades federais e o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) suspenderam as atividades durante todo o dia.















Previous Post
Next Post

About Author

0 comentários:

O nosso Blog agradece a sua participação, mas não responsabiliza-se por qualquer comentário dos participantes. Todos os comentários serão moderados antes de aparecerem nas postagens. Use o bom senso.

Comente a postagem acima.

Postagens populares