quarta-feira, 7 de junho de 2017

HÉLIO SUPLICA POR PARCELAMENTO DE MULTA IRRISÓRIA COMPARADO AO PODER ECONÔMICO QUE OSTENTA


O empresário Hélio dos Terrenos quer passar uma imagem de bem sucedido economicamente, para além do fracasso de seus empreendimentos imobiliários, porém se humilhou na Justiça Eleitoral para que o Juiz parcelasse em 60 (sessenta vezes) o pagamento da multa de R$ 10.000,00 (dez mil reais) por fazer propaganda indevida (processo nº 0000024-51.2016.6.17.0045). Ou seja, uma multa que o Juiz estabeleceu em caráter de punição, Hélio queria pagar parcelas cômodas de R$ 166,66 (cento e sessenta e seis reais e sessenta e seis centavos). Hélio está achando que a Justiça Eleitoral é um balcão de negócios que pode fazer o que ele faz com os seus agiotas ou com os clientes lesados que compraram seus terrenos e descobriram que foram enganados. Ou a imagem das criancinhas que ele usou em seus negócios lucrativos. Mas o Juiz Eleitoral Dr. Demétrius Liberato cortou as asinhas de Hélio e disse o seguinte: “indefiro os requerimentos para parcelamento das multas eleitorais impostas, vez que não foram demonstradas as incapacidades econômicas dos requerentes, e ainda sob pena de descaracterização da punibilidade arbitrada pelo Juízo Eleitoral”. Hélio é o candidato a prefeito que quer administrar Belo Jardim opõe resistência até para pagar o que deve na Justiça Eleitoral. Agora Hélio você que pousa de bom administrador? 

Como perguntar não ofende: Por que Deixou faltar dinheiro para colocar o número de sua legenda nas bandeiras? Use nas bandeiras a cal que você caia os meios fios dos seus condomínios, pois estão mais para sepulcros caiados.

Postagem que circula nas redes sociais:


O juiz rejeitou as contas de Hélio da eleição anterior.
Hélio recorreu. O juiz disse que Nem Cabeludo não estava representado por um advogado, mandou regularizar e não consta no sistema se ele regularizou.
O processo parou aí.
O juiz ainda não decidiu se conclui nisso ou se ainda vai mandar para o TRE.

As irregularidades na prestação de contas de candidatos, que acarretarem sua desaprovação, poderão fundamentar a representação prevista no artigo 30-A, que trata de arrecadação e gastos ilícitos de campanha, da Lei das Eleições, o que pode causar a perda do diploma do candidato eleito e a sua inelegibilidade. “Aí sim há inelegibilidade decorrente das contas, mas após a ação”.

e Lembrem-se, Eu Tô de Olho.







Previous Post
Next Post

About Author

0 comentários:

O nosso Blog agradece a sua participação, mas não responsabiliza-se por qualquer comentário dos participantes. Todos os comentários serão moderados antes de aparecerem nas postagens. Use o bom senso.

Comente a postagem acima.

Postagens populares